Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘governo’

Ainda em outubro o governo vai anunciar a retirada do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) sobre os produtos reciclados. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (15) pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. O objetivo é estimular a cadeia produtiva dos reciclados, que já teriam pagado impostos anteriormente, na sua forma original de produção.
Além de incentivar o descarte responsável e acelerar a produção sustentável por parte das empresas, a medida trará benefícios para os consumidores desses produtos e também para as cooperativas de catadores de lixo. Os consumidores pagarão menos e os catadores de lixo serão mais valorizados.
A retirada de impostos sobre produtos reciclados inicia uma série de medidas ecônomicas ligadas às questões ambientais, como a retirada de impostos sobre produtos de geração eólica e também a respeito da redução tributária sobre o carro elétrico, que paga mais IPI do que um veículo convencional.
Na minha opinião, o governo demorou para tomar medidas legais em relação ao retorno do lixo. Muita gente não tem idéia da quantidade de lixões a céu aberto e incineradores poluentes que existem em nosso país. Quanto maior for o incentivo governamental, maior será a participação da população no descarte responsável de nossos dejetos.
Agora, nos resta torcer para que as medidas ecônomicas continuem. Elas são um ato de respeito ao meio ambiente, ao trabalhador que recolhe o lixo e ao bolso do cidadão brasileiro.

P.S.: Mãe, obrigada pela sugestão do tema. Economia é com você mesma! 😉

Fonte: FolhaOnline

Anúncios

Read Full Post »

O Greenpeace criticou a posição do Governo de Luiz Inácio Lula da Silva que, lembra, tem interesse na expansão da indústria pecuária. Até 2018 prevê-se que a quota brasileira de mercado mundial venha a duplicar. Atualmente, detém partes dos três gigantes pecuários do Brasil – Bertin, JBS e Marfrig -, acusados pela Greenpeace de contribuírem para a destruição de grandes áreas da floresta amazônica.

“A expansão do sector pecuário ameaça deitar por terra a meta do Governo de reduzir a desflorestação em 72% até 2018”, considera a organização. Segundo o Governo de Lula da Silva, estas reduções iriam evitar a emissão de 4,8 gigatoneladas de dióxido de carbono (CO2).

Neste momento, o Brasil é o quarto maior agressor do clima, sendo que a maioria das suas emissões provêm do abate e queima da floresta tropical.

“Ao apoiar a destruição da Amazônia em nome da pecuária, o Governo do Presidente Lula está a desprezar os seus próprios compromissos climáticos, bem como os esforços globais para enfrentar a crise climática”, considerou Andre Muggiati, da Greenpeace Brasil.

Em Dezembro deste ano, o mundo reúne-se em Copenhagen para chegar a acordo sobre o sucessor do Protocolo de Kioto, que expira em 2012. A desflorestação tropical é responsável por cerca de 20% das emissões de gases com efeito de estufa, mais do que todo o setor dos transportes. “Por isso, qualquer novo acordo deve lidar efectivamente com a desflorestação”, considera a organização.

Read Full Post »